Disartria

May 9, 2017

Disartria

 

É uma patologia referente à comunicação com comprometimento neurológico presente.

Refere-se a um grupo de desordens da fala com alterações das funções motoras da respiração, fonação, ressonância, articulação e prosódia.

Ela pode causar algumas complicações, como dificuldades na comunicação, problemas com interações sociais ou depressão.

A disartria é confundida com problema de linguagem, mas na verdade é um problema motor onde encontramos as principais dificuldades:

 

Falar baixo ou com um sussurro;

Babar;

Fala com uma voz anasalada ou abafada;

Voz rouca;

Ritmo irregular ou anormal de fala;

Volume de voz irregular;

Dificuldade em mover os músculos da face;

Lábios e Língua: terão seus tônus alterados, podendo estar hipotônicos ou hipertônicos;

Palato: incoordenação dos movimentos;

 

Funções neurovegetativas (sucção, mastigação, deglutição, respiração e fala): encontram-se anormais pela dificuldade no movimento dos músculos orais;

Leitura/Escrita: afetadas, devido às paralisias, paresias, incoordenação e problemas de tônus. Dependendo do grau da lesão, podem ser possíveis.

 

O diagnóstico e o tratamento vão depender da sua causa, tipo e gravidade. É necessário que o paciente procure especialista como: um clínico geral, fonoaudiólogo e um neurologista.

Dentre as causas mais conhecidas estão: tumor Cerebral, demência, derrame paralisia cerebral, esclerose múltipla, distrofia muscular, miastenia gravis, doença de Parkinson, AVC, doença de Wilson, infecções, paralisia de Bell e Sindrome de Guillain-Barré.

A terapia fonoaudiológica só começará quando o tratamento médico tiver acabado. Assim o profissional poderá avaliar melhor cada caso.

 

A prosódia (modulação, velocidade, altura e intensidade da fala),ressonância  (mobilidade velofaríngea, impressão acústica),respiração(tempo máximo de fonação),fonação(qualidade vocal, frequência, intensidade, estabilidade da emissão) e a articulação (Mobilidade da face e intengibilidade durante a fala, produção fonêmica),sã os primeiros sintomas avaliados.

 

A Fonoterapia tem como objetivo:

Melhorar e maximizar a sua capacidade de falar.

Ajudá-lo a encontrar maneiras diferentes de se comunicar.

Retardar ou acelerar a velocidade da fala.

Melhorar a respiração.

Melhorar os movimentos da língua e dos lábios.

Ensinar cuidadores, familiares e professores estratégias para melhor se comunicar com o paciente.

 

Em casos graves, ensinar meios alternativos de comunicação.

Melhorar a produção dos sons da fala, de modo que ela fique mais clara.

Fortalecimento dos músculos.

 

No entanto, não há nenhuma garantia de que a terapia de fala e linguagem pode melhorar o discurso de todos os pacientes com disartria. A melhora do tratamento varia de acordo com a extensão e a localização do dano cerebral.

Caso você conviva com uma pessoa portadora de disartria, poderá melhorar sua comunicação através das seguintes sugestões:

  • Reduzir distrações e ruídos de fundo quando você tem uma conversa.

  • Evite terminar suas frases ou corrigir quaisquer erros na sua língua.

  • Pergunte suas preferencias.  

  • Observe a pessoa como ele fala.

  • Depois de falar, permitir-lhes tempo suficiente para responder. Não o apresse.

  • Não finja que você entendeu. É sempre melhor ser honesto sobre sua falta de compreensão.

Ana Mendes

Fonoaudióloga CRF nº3025 RJ

Contato.anamendes.br@gmail.com

Cel (21)999731439

 

Please reload

RECEITAS

APRENDENDO A JOGAR

November 6, 2019

1/10
Please reload

POSTS RECENTES

November 6, 2019

September 18, 2019

August 15, 2019

June 15, 2019

Please reload

Arquivo