Buscar
  • Camila de Assis

A FISIOTERAPIA NA DEPRESSÃO DO IDOSO


Um dos maiores empecilhos que a fisioterapia encontra em pacientes idosos é a depressão. Uma doença devastadora, que consome a força física e mental. Não permite que a pessoa tenha força de vontade para lutar pela sua vida, perdendo o apetite e ficando por diversas vezes desidratada. Recusam-se a se exercitar. Entretanto, por diversas vezes além dos motivos psíquicos, existe também o motivo físico. Eles não tem energia para executar as tarefas pela alimentação deficiente.

O fato de não compreenderem que a fisioterapia é uma maneira de fazê-los sentir melhores, dificulta a atuação do profissional. Nesses casos, é de suma importância manter suas articulações livres, músculos flexíveis e a capacidade pulmonar plena auxiliando na doença para que não progrida para novas afeções. Numa grande parte das vezes, a depressão no idoso acontece quando são lúcidos, orientados, mas não admitem a mudança de vida independente passando a viver com os filhos e/ou ser assistido por um cuidador, por terem dificuldades de locomoção. Tornam-se arredios a qualquer forma de ajuda, tornando a fisioterapia um obstáculo e não um meio de adquirir independência, fluidez nos movimentos, leveza, disposição, enfim, saúde.

A verdade é que ninguém está preparado para envelhecer, para as restrições que vem com o tempo. Na grande maioria das famílias, os pais dos nossos pais, dos nossos avós, vieram a falecer antes de conviverem com os problemas da velhice. Então não puderam ver que faz parte: a falta de equilíbrio, a descoordenação, a perda da aptidão física, dificuldades na locomoção, falhas na memória, quedas e por fim, dependência. Logo, ser velho é uma condição nova para a maioria dos idosos. Ao perder a independência de ir a rua sozinho já causa um sofrimento tal que muitos julgam ser melhor ir a óbito. Penso que não deve ser nada fácil passar por este processo de adaptação, principalmente, para pessoas que sempre foram muito ativas, muito vaidosas, independentes e que passaram longos anos vivendo sozinhas. Em determinadas situações, as família apesar de tentarem compreender e ajudar o idoso, não conseguem atingir o vértex do problema precisando do apoio de profissionais.

O idoso apresenta um comportamento melhor ao estar em um meio onde possa ser útil, querido, valorizado de modo que não crie um sentimento de rejeição pela própria vida, como se estivesse sendo um estorvo para a família, fadado aos últimos dias de suas vidas naquela condição ou tivesse sido abandonado. Ambientes equilibrados, calmos, sadios, propiciam um bem estar ao paciente tornando o dia a dia mais leve e prazeiroso.

As atividades físicas promovem a liberação de endorfinas e causam o bem estar, assim sendo, é de suma importância nesses casos que haja pelo menos duas vezes por semana a visita de um fisioterapeuta. Ao permanecer sedentário, fica cada vez mais difícil manter a estabilidade do corpo acarretando perda de massa muscular, de capacidade respiratória, da coordenação motora, da força muscular, desequilíbrio e por fim perda de locomoção agravando o estado do paciente.

O tratamento fisioterapêutico traz benefícios imensuráveis, já que além da bem feitoria para o corpo, existe a bem feitoria para a mente. O estímulo verbal dado para a realização de cada exercício faz a mente raciocinar pensamentos outros que não os da tristeza. Embora seja pouco o tempo do fisioterapeuta com o paciente, este pode transformar essa rotina morna, num dia lindo e prazeiroso. A abordagem de assuntos convidativos, engraçados, felizes, mostra uma outra perspectiva dentro do tratamento.

A fisioterapia ativa a cognição, o sistema nervoso, o sistema cardiovascular, pulmonar e muscular. Proporciona um bem estar que juntamente com a terapia e a medicação a recuperação caminha rapidamente para a estabilização da doença. Pode ser que no início o paciente queira fazer poucos exercícios, mas é melhor a tentativa, o esforço, do que permanecer sentado na frente da televisão ou deitado o dia inteiro sedentário deixando a mente vazia para refletir sobre fatos ruins e ter mais pensamentos fúnebres e dantescos piorando a depressão.

Camila de Assis

Fisioterapeuta

E-mail: camilaagoncalves@hotmail.com

Celular: (21) 995060646


955 visualizações

CANTINHO DA GERIATRIA

Textos e artigos da Dra. Roberta França

SIGA NAS REDES

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Blogger Icon

SIGA O CANTINHO NO FACEBOOK

Cantinho da Geriatria 2020 © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvido por Toco Me Voy