Buscar
  • Christina Borges

METAMORFOSE: A CORAGEM DE SAIR DO CASULO


A tendência ao longo da vida é procurar a homeostase, tanto física quanto mental.

E diante do olhar holístico para o ser humano - manter o equilíbrio entre o corpo e a mente - é a maior conquista que se pode obter.

Na verdade nada está desconectado! Somos uma integração de tudo que acontece no nosso corpo, com os sentimentos e sensações, pensamentos e ações, mundo “interno” e externo.

Sofremos impacto de todas as interações que estabelecemos ao longo dos dias e da vida – seja nas relações familiares, entre amigos, com os colegas de trabalho, ou no relacionamento de casal.

Algumas vezes percebemos as situações proporcionadas diariamente pelas convivências com as pessoas que fazem parte da nossa vida. Outras vezes agimos e reagimos no automático, sem observar o que realmente acontece e que sentimentos são despertados. Assim, na correria e na sobrecarga do dia-a-dia, “toca-se o barco” sem muita reflexão. Nesta rotina e exigências de tantos papéis que desempenhados – filha(o), mãe/pai, marido/esposa, profissional, amiga(o), tio(a) – poucas vezes é possível estar atento às entrelinhas, às necessidades e desejos nossos e dos outros. Busca-se o caminho mais fácil, mais simples e que menos demanda energia física e emocional.

Mas para se aperfeiçoar enquanto pessoa é preciso passar por um processo de transformação. Sem transformação física, emocional e também espiritual - porque somos um ser complexo, lembra? – não atingimos o desenvolvimento e a plenitude tão desejada! E o que move o ser humano para conquistar esse bem-estar? Penso que é o desejo de equilíbrio, de tranquilidade, de homeostase. Mas para tanto é necessário um ingrediente fundamental: a CORAGEM!

Coragem de sair da zona de conforto, de se arriscar, de se lançar, se “olhar” e buscar aparar as arestas que todos temos: defeitos, medos e alguns sentimentos considerados “nada nobres” - mas que são humanos e, muitas vezes, legítimos - em busca da superação. Para isso é necessário essa dose de coragem e se permitir viver a metamorfose e deixar a vida de lagarta para virar borboleta.

Mas imagino que para a lagarta, se aquietar e ficar durante algum tempo abandonando a velha “roupagem” sem a certeza de como serão as novas asas, deve ser um grande desafio! Um misto de incerteza, medo, confiança e fé em si mesma! E aí em fim – sair do casulo - alçar voo! Poder olhar o mundo de outro ponto de vista, acima e mais abrangente, com a certeza de que se arriscar a deixar o comodismo em busca da completude, vale à pena!

Essa é a fala e a vivência de uma paciente de 68 anos, casada, mãe, avó e mulher em buscar de si mesma durante uma sessão de psicoterapia. Trabalhar com o ser humano, é uma a oportunidade que tenho – e que sou grata - de observar e aprender diariamente diante e com os meus pacientes, que se permitem passar pelo processo de psicoterapia, por mais “doloroso e arriscado” que possa parecer ser.

E parafraseando Raul Seixas: “eu prefiro ser essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião forma sobre tudo”. Bom dia!

CHRISTINA BORGES

Psicóloga/ Mestre em Psicologia Clínica/Neurociências - Neuropsicologia

Cérebro Ativo – https: //www.facebook.com/cerebroativopsi (21) 98581.2121

www.cantinhodageriatria.com.br

#ChristinaBorges

44 visualizações

CANTINHO DA GERIATRIA

Textos e artigos da Dra. Roberta França

SIGA NAS REDES

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Blogger Icon

SIGA O CANTINHO NO FACEBOOK

Cantinho da Geriatria 2020 © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvido por Toco Me Voy