Buscar
  • Christina Borges

AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA: Quando fazer?


AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA: Quando fazer?

Algumas vezes você percebe pequenos esquecimentos? Que vão aumentando com o passar do tempo, como: esquecer os compromissos, recados, onde deixou algum documento ou objeto, uma palavra que queria dizer?É claro que isso pode acontecer em qualquer idade e com qualquer um de nós. E não necessariamente está associado a uma doença.

Mas atualmente quando acontece qualquer esquecimento é como se ligasse um sinal de alerta pra gente, não é mesmo? E essa sensação que você tem é respaldada por estudos recentes que mencionam a necessidade de estar atento aos esquecimentos recorrentes. As pesquisas sobre memória mostram que a percepção subjetiva do esquecimento não deve ser desconsiderada. Porque essa percepção aponta para uma mudança no funcionamento cognitivo, que nem sempre pode ser detectada pelos exames clínicos ou de imagem solicitados numa consulta médica para tratar esta queixa.

Então se você identifica que há algo diferente, não deixe de relatar para o clínico, geriatra ou neurologista que te acompanha. O profissional saberá como conduzir a investigação dos sintomas para identificar se estão associados ao envelhecimento normal ou patológico, e, tratar caso seja necessário. Frequentemente o médico solicita a avaliação neuropsicológica, um exame complementar, que auxilia no diagnóstico do esquecimento para determinar se é algo natural do próprio envelhecimento.

A avaliação neuropsicológica, normalmente é indicada para pessoas acima de 50 anos com queixas de problemas de memória e/ou desorganização do pensamento. Se você percebe uma mudança relacionada a esquecimentos, também pode tomar a iniciativa de procurar um neuropsicólogo para fazer essa avaliação. Se você cuida do seu corpo fazendo um check-up e avaliações rotineiras, por que não cuidar e avaliar o funcionamento cerebral também? Esta avaliação específica é realizada por psicólogos - com experiência em neuropsicologia do envelhecimento - e identifica o comprometimento da memória e de outras funções – como a atenção, linguagem, a orientação temporal e espacial, a organização e o planejamento de atividades rotineiras - fatores fundamentais para que você possa conduzir a sua vida com autonomia.

Os sintomas de ansiedade, depressão e alterações comportamentais também são avaliados porque podem estar associados ao esquecimento e, precisam ser investigados, para assegurar a qualidade de vida no momento atual e ao longo de todo o envelhecimento.

E depois de realizada essa avaliação específica, o médico vai ter mais informações sobre o seu desempenho nas atividades de vida diária, nas situações que envolvem a atenção, a memória e outras funções e fatores fundamentais para que você possa conduzir a sua vida com autonomia. Lembre-se a avaliação neuropsicológica é realizada com o objetivo de detectar se existe algum prejuízo que atrapalhe o funcionamento harmonioso do cérebro.

E se algo for identificado, o que se pode fazer para prevenir ou retardar as doenças que podem limitar a vida na sua plenitude!

Excelente dia para todos!

Por CHRISTINA BORGES - Psicóloga/ Mestre em Psicologia Clínica/Neurociências - NeuropsicologiaCérebro Ativo – https: //www.facebook.com/cerebroativopsi (21) 98581.2121www.cantinhodageriatria.com.br

#ChristinaBorges

25 visualizações

CANTINHO DA GERIATRIA

Textos e artigos da Dra. Roberta França

SIGA NAS REDES

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Blogger Icon

SIGA O CANTINHO NO FACEBOOK

Cantinho da Geriatria 2020 © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvido por Toco Me Voy