Buscar
  • Camila de Assis

A IMPORTÂNCIA DA FISIOTERAPIA NO ALZHEIMER


A Importância da Fisioterapia no Alzheimer

Bom, no último texto que escrevi sobre a Fisioterapia no paciente com Alzheimer, percebi uma grande demanda de dúvidas em relação a densidade e a importância do trabalho da Fisioterapia neste tipo de paciente. Então, resolvi escrever como é eficaz a atuação de um fisioterapeuta para o doente e para a família.

O Alzheimer tem 4 fases (Inicial, Intermediaria, Final, Terminal) e a Fisioterapia deve atuar em todas, mas principalmente, nas duas primeiras fases. Enquanto o paciente ainda caminha, fala, senta e levanta, compreende comandos, se alimenta sozinho. Apesar dele já ter um comprometimento cognitivo, ainda consegue realizar exercícios ativos livres, ou seja, apenas com o comando do fisioterapeuta. Durante essas fases iniciais, temos um ganho significativo no equilíbrio, na coordenação motora, no ganho de força, na melhora da funcionalidade do dia a dia que auxiliarão nas fases seguintes dando recursos suficientes para uma vida ativa.

O que desejo explicar é que temos uma doença com piora gradativa, e cada dia que passa onde o idoso não se movimenta conta negativamente. A rotina da maioria dos idosos saudáveis resumem-se a uma diminuição de movimento.

O metabolismo diminui, há uma redução considerável da acuidade visual e auditiva trazendo prejuízo ao equilíbrio, eles tornam-se mais caseiros, ficam mais cansados a pequenos esforços e preferem assistir à TV do que ir dar um passeio. Isso acontece com um idoso saudável que também precisa da assistência da Fisioterapia na rotina. Quando temos um caso de demência, neste caso o Alzheimer, tudo é mais rápido e complexo. Logo, a negligência de manter um idoso o dia inteiro sentado ou deitado leva a uma rotina prejudicial à saúde motora deste. A Fisioterapia nestes casos funciona como se fosse um remédio alopático. Ela trabalha este quadro fazendo com que ele se movimente, caminhe, trabalhe o equilíbrio, a respiração, a força trazendo mais energia e oxigenando as células trazendo bem estar.

O Alzheimer é uma doença degenerativa, onde além da parte cognitiva, a parte motora é muito atingida. Quanto mais precoce a Fisioterapia entra na rotina deste paciente, mais lentamente há o agravamento do comprometimento motor. A importância de entrarmos com o trabalho da Fisioterapia nas primeiras fases é MANTER a força, a musculatura, que ele já tem é ganharmos em cima disso. Quando chegamos e o paciente já está acamado os ganhos são mais em relação a respiração e não haver perda da flexibilidade causando contraturas irreversíveis.

Um paciente ativo, é um paciente que ajuda no banho, na alimentação, na troca de uma roupa, que sai da cama para a troca da roupa de cama, tudo torna-se mais fácil. Além da proteção para ele mesmo, evitando as quedas, pneumonias e úlceras e pressão. Logo, assim que o diagnóstico da doença for feito, procure a orientação de um fisioterapeuta. A vida com exercícios é muito mais leve e saudável. Fisioterapia é movimento e movimento é Vida!

Camila de Assis

Fisioterapeuta

Contato: (21) 99506 0646

Camilaagoncalves@hotmail.com

#CAMILADEASSIS

62 visualizações

CANTINHO DA GERIATRIA

Textos e artigos da Dra. Roberta França

SIGA NAS REDES

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Blogger Icon

SIGA O CANTINHO NO FACEBOOK

Cantinho da Geriatria 2020 © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvido por Toco Me Voy