Buscar
  • Dra. Roberta França

DÉFICT AUDITIVO E COMPROMETIMENTO COGNITIVO


Déficit auditivo e comprometimento cognitivo - déficit primário ou consequência?

A perda auditiva ou presbiacusia afeta 50% dos idosos acima de 65 anos.

As queixas mais comuns são:

- ouve mas não entende

- dificuldade com sons repetitivos

- dificuldade em discriminar consoantes

Temos que entender que o processo da audição é central, nós ouvimos com o cérebro!

O som entra pelo ouvido mas é no cérebro que ele será processado e decodificado.

Dito isso fica fácil compreender que com o envelhecimento há uma lentificação do processamento auditivo, tornado difícil para o idoso entender, por exemplo , quem fala muito rápido ou estar em ambiente com sons competitivos ( muita gente falando ao mesmo tempo, musica alta, etc..) . Por isso em geral idosos detestam ambientes lotados.

É muito perturbador.

A perda auditiva é fundamentalmente uma perda social. E é fator de risco para demência independente de sintomas comportamentais . Ela provoca isolamento social, ansiedade e dependência. A necessidade e o esforço para ouvir é cansativo e estressante.

O paciente desiste.

Vários estudos tem tentando tentado compreender melhor a relação da cognição e perda auditiva.

Uma das hipóteses levantadas é: será que a perda cognitiva leva o paciente a desaprender a ouvir? Cognição e audição se deterioram em paralelo de forma independente ou teriam as mesmas bases neuropatologicas ? Não sabemos !

Sabemos que o déficit auditivo leva a uma alteração funcional e estrutural no sistema nervoso central ( neuroplasticidade), redução do volume do córtex auditivo e giros. E por que isso ocorreria? Talvez a explicação esteja na TEORIA DO ESFORÇO COGNITIVO PARA OUVIR. Tudo que ouvimos geramos imediatamente uma imagem mental estimulando nossa memória de trabalho.

Enfim... Apesar de complexo uma coisa é certa. Manter a audição é promover socialização, vida ativa, bom humor e qualidade de vida.

Temos cada vez melhores aparelhos e fonoaudiólogos capacitados para realizar treinamento e reabilitação auditiva.

Não é triste nem feio usar aparelho...

Triste é não ouvir sua música favorita, a risada dos seus netos, a voz dos seus filhos, o grito de gol do seu time favorito , a voz do seu seu melhor amigo ao telefone, uma declaração de

amor, um bom dia ou um muito obrigado!!!

Feio é deixar o preconceito impedir você de ouvir, falar, entender e viver!

Dra Roberta França

Medicina Geriátrica

www.cantinhodageriatria.com.br

#RobertaFrança

22 visualizações

CANTINHO DA GERIATRIA

Textos e artigos da Dra. Roberta França

SIGA NAS REDES

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Blogger Icon

SIGA O CANTINHO NO FACEBOOK

Cantinho da Geriatria 2020 © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvido por Toco Me Voy