Buscar
  • Dra. Roberta França

Casos de Consultório


Casos de Consultório

Recebi um casal em meu consultório. A consulta era para ele. Reparei que ele estava com um grande curativo no pé e estava com muita dificuldade para andar. Perguntei no que poderia ajuda -lo e ele me respondeu que teve um problema no pé, que operou e que agora precisava de alguém pra acompanhar o caso. Abri o curativo e me deparo com uma enorme lesão e parte da planta do pé amputada. Perguntei se ele era diabético. Ele não respondeu. Sua esposa que estava calada disse " bom doutora ele insiste que não ". Sentei novamente e pedi a esposa que me contasse toda a história.

Ele é diabético de longa data, já passou por vários médicos, todos sempre reafirmando a importância do tratamento para evitar problemas futuros. Ele se recusa a aceitar a doença e segue a vida comendo indiscriminadamente qualquer comida, doce ou salgada além de alimentos gordurosos. Não admite nenhum tipo de dieta e sempre diz que não tem nada. Um dia sentiu um desconforto no pé e pediu a esposa que passasse um creme . Ao levantar o pé ela viu que havia um prego preso na sola , completamente !!! Ele não sentiu nada e não fazia idéia de quando ou como esse prego havia entrado ali. Ela retirou o prego com uma pinça e lavou o local.

Dias depois ele começou a sentir dores no pé que evoluiu para a perna até que a dificuldade de andar ficou visível. Ela tentou leva lo ao médico.

Ele se recusou. Quando ela finalmente conseguiu ver a sola do pé estava preta. Foram imediatamente ao hospital. Diagnóstico? Necrose plantar.

Ele passou um mês internado, diabetes descompensado e necessitou cirurgia no local com retirada de uma parte da area.

Após ouvir todo o relato da esposa pergunto a ele como vamos fazer. Como ele espera que eu o ajude. Ele me diz que espera que eu resolva a ferida. Pergunto como se ele acha que não tem nada.! A partir daí explico calmamente que o primeiro passo é ele admitir que é DIABÉTICO! O que mais precisa acontecer pra vc se convencer disso, pergunto. Perder a perna? Ele disse que não. Muito bem. Pedi uma série de exames e tracei um plano de ação medicamentoso e alimentar. Disse a ele que estaria ao seu lado para o que der e vier desde que ele "rezasse na minha cartilha".

Não adianta eu me esforçar e ele não. Encaminhei para a terapia. Aceitar a doença é a base da sua melhora!

Achei importantíssimo dividir esse caso com vocês pois fiquei me perguntando quantos não estão na mesma situação.

Diabetes é uma doença crônica sim, não há cura mas há dezenas de tratamentos fantásticos onde o paciente fica controlado e ganha muito em qualidade de vida.

Brigar com a doença, fingir que não tem não faz a doença desaparecer. Não ajuda em nada. Precisamos aprender a lidar com ela.

Seja seu maior aliado.

Seja consciente.

Viva plenamente.

Dra Roberta França

Medicina Geriátrica

www.cantinhodageriatria.com.br


5 visualizações

CANTINHO DA GERIATRIA

Textos e artigos da Dra. Roberta França

SIGA NAS REDES

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Blogger Icon

SIGA O CANTINHO NO FACEBOOK

Cantinho da Geriatria 2020 © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvido por Toco Me Voy