Buscar
  • Christina Borges

Mitos e Verdades sobre a Memória


Mitos e verdades sobre a memória: o que você precisa saber!

Ao longo de nossa vida vamos tendo contato com alguns mitos e aceitando como verdades. O mito tem como objetivo transmitir conhecimento e explicar fatos que a ciência ainda não consegue dar conta. E com relação à memória existem muitos. Então vamos buscar esclarecer alguns mitos e verdades que envolvem a memória e que a ciência tem desvendado.

1 - A memória pode piorar com a idade.

Verdade - Mesmo no envelhecimento normal podem ocorrer algumas mudanças no cérebro e fazer com que haja um declínio nas funções cognitivas, entre elas a memória. Assim com o passar dos anos, pode ser percebida uma dificuldade maior para aprender novos conceitos e lembrar de fatos recentes guardados na memória. Veja bem, é uma dificuldade não uma impossibilidade, mas que não é um problema se não comprometer a funcionalidade da pessoa.

2 - A capacidade de memorização já é definida assim que a pessoa nasce.

Verdade - Mas não precisa ficar desanimado, porque a memória pode ser melhorada ao longo da vida. As pesquisas mostram que a capacidade de armazenar informações pode ser otimizada com técnicas específicas, prática de exercícios e estratégias compensatórias que podem ser realizadas com a ajuda de um profissional.

3 - A falta de atenção não prejudica a memória.

Mito - A atenção e a memória são funções cognitivas e elas interligadas. Portanto é importante saber que a capacidade de memorização está atrelada a atenção, e, se não houver atenção naquilo que está sendo feito ou aprendido, a memória vai ficar prejudicada.

4 - Ter boa memória significa ser inteligente.

Não necessariamente - O conceito de inteligência é muito abrangente e memorizar muitas informações não significa que aquela pessoa é inteligente, mas que tem uma boa capacidade de guardar conceitos, datas, experiências e portanto facilidade para a aprendizagem.

5 - O cérebro que não é estimulado perde agilidade.

Verdade - Sabemos que o cérebro precisa de desafio e, as pesquisas recentes apontam que para que as novas informações sejam retidas, dependem do fortalecimento das conexões que ocorrem entre os neurônios - que são as celulas do cerebro. Então, assim como o corpo precisa de exercícios o cérebro também deve ser estimulado com tarefas novas.

6 - O jovem e mais rápido numa tarefa de memória do que uma pessoa idosa.

Verdade - A medida que se envelhece pode ocorrer uma diminuição na velocidade de processamento de uma informação, o que impacta no desempenho de uma pessoa mais velha quando comparada com um jovem. Mas sabe-se através de estudos que tarefas que exijam concentração por mais tempo, os idosos são capazes de ter um melhor desempenho. Então uma coisa compensa a outra.

7- Quem dorme bem, tem uma memória melhor.

Verdade - Os sono é fundamental para o descanso do corpo e com isso o cérebro também é beneficiado. De acordo com estudos, é durante o sono que as informações são armazenadas no hipocampo, área associada a memória.

8- O uso de remédio melhora a memória.

Mito - Até o momento não existe nenhum medicamento, que

comprovadamente, traga benefício para a memória. Entretanto existem

alguns remédios que podem prejudicar a memória, como os

tranquilizantes, hipnóticos e antidepressivos, por isso a importância de

só fazer uso de medicamentos prescritos por um médico.

9 - Atividade física estimula o cérebro

Verdade - Muitos estudos tem comprovado que a atividade

física, em especial a aeróbica por 150 minutos na semana, tem efeito

positivo sobre a memória, minimizando os declínios que ocorrem

mesmo no envelhecimento normal.

10 - Os jogos podem melhorar a memória.

Verdade - Para exercitar o cérebro pode-se fazer qualquer atividade

que envolva um novo desafio, como: palavras cruzadas, exercícios de

lógica, dominó, xadrez, dama, sudoku, aprender um novo idioma,

tocar um instrumento ou qualquer outra atividade que traga prazer.

11- Depois de uma certa idade não dá para aprender mais nada!

Mito - Este talvez seja o maior e pior dos mitos porque ele impõe um

limite para se fazer alguma coisa que talvez nunca tenha tido a

oportunidade antes. Os limites não estão na idade, mas na sua falta de

motivação, no medo de se lançar em algo novo, na ansiedade de se

deparar com uma informação que você não domine, na insegurança ou

mesmo diante da possibilidade de se frustrar.

Mas na altura do campeonato o que você tem a perder? Vá atrás de

novas atividades, desafios, uma nova motivação! E como já dizia a

poetisa Cora Coralina que começou a publicar os seus versos aos

anos: "Não podemos acrescentar dias à nossa vida, mas podemos

acrescentar vida aos nossos dias!

Até a próxima!

Christina Borges - Psicóloga/ Mestre em Psicologia

Clínica/Neurociências - Neurposicologia - Tel: (21) 98581.2121

Cérebro Ativo - https://www.facebook.com/cerebroativopsi/

www.cantinhodageriatria.com.br

#ChristinaBorges

80 visualizações

CANTINHO DA GERIATRIA

Textos e artigos da Dra. Roberta França

SIGA NAS REDES

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Blogger Icon

SIGA O CANTINHO NO FACEBOOK

Cantinho da Geriatria 2020 © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvido por Toco Me Voy