Buscar
  • Dra Roberta França

ALZHEIMER - TODO MUNDO TEM?


É muito comum quando damos um diagnóstico de Demência de Alzheimer a família me questionar duas coisas:

1) agora todo mundo tem Alzheimer doutora?

2) se minha mãe ( ou pai) tem eu também vou ter?

Bem, quando uma coisa é amplamente divulgada parece existir em todos os lugares, aumenta-se o conhecimento mas também há muita especulação e informações erradas.

A demência de Alzheimer no fundo sempre existiu.... mas até alguns anos atrás dávamos outros nomes. Lembra quando vovó começou a esquecer as coisas e a trocar tudo? Todos dizíamos que ela estava esclerosada ou "gagá", não era? Pois hoje mudamos esses termos para Alzheimer. Apesar de ser a demência mais comum no Brasil e no mundo, não existe apenas demência de Alzheimer. Temos pelo menos mais 4 tipos muito comuns e frequentes:

1) demência vascular

2) demência temporo frontal

3) demência de Parkinson

4) demência senil

Todas elas têm suas particularidades mas nem sempre é tão fácil defini-las. Além disso nada impede que o mesmo paciente tenha mais de uma forma.

Especialmente no Alzheimer fatores genéticos são menos significativos, ou seja, ter mãe ou pai com demência não é fator de risco para que você a desenvolva. Aqui os fatores de risco estão na idade e principalmente no estilo de vida.

Sabemos que hipertensão, diabetes, hipercolesterolemia( colesterol muito alto), depressão e sedentarismo são grandes contribuidores para que os deficits cognitivos surjam ao longo da vida.

E por que? Porque todas essas patologias estão diretamente ligadas a vascularização e consequentemente a oxigenação cerebral.

Vamos lá...

A pressão muito alta, obriga o coração a trabalhar sobre grande stress, dificulta a boa circulação e assim reduz a oxigenação cerebral.

O diabetes mal controlado permite que excesso de açúcar seja depositado em veias e artérias, diminuindo seu calibre e consequentemente reduzindo o fluxo de oxigênio cerebral.

O mesmo vale para o excesso de colesterol, que irá se depositar da mesma forma, formando placas de ateroma e causando o mesmo dano.

Já fica fácil compreender porque o sedentarismo é fator de risco. Atividade física melhora e muito os níveis de pressão, reduzem a glicose e o colesterol além de aumentarem substancialmente a oxigenação cerebral.

E a depressão? Onde entra nisso tudo?

Simples, pessoas depressivas tendem a comer mais, não tem vontade de fazer nada principalmente atividade física, tendem a se isolar do convivio social e consequentemente pioram muito a memória. ..

O que podemos tirar de tudo isso?

Ainda não existe nenhum remédio que modifique a doença nem um que a impeça de acontecer...

Sendo assim ficamos 100% amarrados a prevenção!!!!

E isso não é otimo?

Adquirir bons hábitos alimentares, cuidar melhor do corpo e também da alma... Não existe fórmula mágica. ..

Mas existem caminhos cheios de beleza, saúde e bem estar...

A vida cada vez mais nos convida a essa nova jornada...

Faça sua escolha e vem envelhecer bem...

Por Dra Roberta França

Medicina Geriátrica

www.cantinhodageriatria.com.br


25 visualizações

CANTINHO DA GERIATRIA

Textos e artigos da Dra. Roberta França

SIGA NAS REDES

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Blogger Icon

SIGA O CANTINHO NO FACEBOOK

Cantinho da Geriatria 2020 © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvido por Toco Me Voy