Buscar
  • Dra Roberta França

ARTROSE (OSTEOARTROSE - OSTEOARTRITE): COMO ELA AFETA A QUALIDADE DE VIDA DO IDOSO? - PROVITAL


Você sabia que a artrose é uma das principais doenças que provoca a redução da qualidade de vida do idoso? Por ser uma doença progressiva, a artorse pode levar a destruição da cartilagem articular resultando em deformação, incapacitação e diminuição da qualidade de vida. Com o envelhecimento fisiológico, alterações bioquímicas, estruturais e biomecânicas vão surgindo. A cartilagem articular pode sofrer desgastes, levando a fricção dos ossos resultando em inchaço, ruídos, dor e rigidez. Alguns fatores de ricos são predominantes, como a obesidade, a falta de atividade física, o fator genético ou o excesso de esforço. É uma doença que não tem cura. No entanto, diversos tratamentos podem retardar a evolução da doença, aliviar a dor e melhorar a função articular. O tratamento em conjunto com um médico geriatra, um reumatologista e um fisioterapeuta é de extrema importância para quem tem artrose. Porém, muitos idosos acabam não procurando o tratamento adequado no início da doença e fazem uso de analgésicos por conta própria. Entretanto, isso não reduz a inflamação de forma correta e resulta numa progressão da doença. Outra queixa muito comum entre os idosos é a piora da dor no frio, mas em geral o frio não é uma causa direta da doença. Sem o tratamento adequado, as pessoas só procuram ajuda quando já estão na fase incapacitante, limitando alguma atividade do cotidiano, dificultando o bom prognóstico. Mudanças no estilo de vida, como praticar exercícios e perder peso são muito eficazes no tratamento. Mas quando existe a fase aguda, ou seja, o paciente em crise prioriza-se o repouso. Além disso, alguns alimentos são aliados ao tratamento. Vale consultar um profissional especializado para manter uma alimentação adequada. Nós, como fisioterapeutas, temos um papel fundamental na vida do indivíduo que tem artrose. Orientamos os idosos de forma a esclarecer o melhor momento para a fase de repouso e o melhor momento para o exercício. Isso é muito importante, porque o idoso costuma fazer confusão com essas informações. Acha que quando sente dor, precisa ficar em repouso. No entanto, é muito comum ocorrer a piora dos sintomas, quanto mais parado o idoso fica. Os exercícios terapêuticos não sobrecarregam as articulações e são fundamentais, pois as articulações ficam mais flexíveis e têm suas funções motoras preservadas mesmo com a artrose. Além disso, músculos mais fortes evitam a deformidade. Junto aos exercícios, a fisioterapia entra com os recursos da eletrotermofototerapia, quando necessário, para tratamento da dor e inflamação. A crioterapia e a mobilização articular promovem o relaxamento dos tendões, ligamentos e articulações que irão aliviar a dor e facilitar a prática de atividade física. A prática do pilates, pelo menos 2 vezes por semana, com fim terapêutico, tem sido uma técnica muito eficaz, proporcionando condicionamento físico, melhora da postura, alívio para os sintomas e bem estar, refletindo na qualidade de vida do idoso. Vamos dar algumas dicas simples para mudança de hábitos, mas que farão toda a diferença para conviver com a artrose da melhor forma possível: • Use sapatos confortáveis no dia-a-dia. • Evite carregar peso desnecessário. • Faça caminhadas leves e curtas, com evolução progressiva. • Inclua alongamentos de manhã e de noite na sua rotina. • Evite ficar parado muito tempo na mesma posição. • Antes de levantar da cama, espreguice e faça pequenos movimentos articulares. • Controle seu peso e tenha uma boa noite de sono. • Evite sentar-se em estruturas muito moles, em casos de artrose de quadril, coluna e joelho. • Opte pelas rampas ao invés de escadas. • Utilize, quando indicado, bengalas, muletas ou andadores para diminuir seu sofrimento. • Faça coisas que lhe dê prazer e alegria. • Faça tratamentos naturais, junto aos tratamentos de base, como medicamentos a base de plantas e acupuntura. Quando houver a progressão da doença com deformidade e limitações mais avançadas, algumas modificações no ambiente que o idoso está inserido são necessárias. Mudanças na mobília em casa e adaptação de atividades diárias facilitam a vida do paciente e irá incentivar que o mesmo continue com algumas independências. A FISIOTERAPIA DOMICILIAR é de extrema importância neste momento. Sabemos que a interação social corresponde um fator positivo na qualidade de vida do paciente. Porém, quando o idoso tem muita dificuldade motora ou psicológica para sair de casa, acaba desistindo do tratamento. Pra que isso não aconteça, o tratamento domiciliar é realizado e, num momento posterior, havendo a indicação, o paciente deverá ir até a clínica para dar continuidade às atividades. Lembramos que carinho e a ajuda das pessoas que convivem com um paciente com artrose são muito importantes. Vale a pena se informar sobre a doença porque pequenas ajudas dadas a estes pacientes irão melhorar muito o seu bem estar e qualidade de vida. Em muitos casos exige-se muita independência dos idosos, e isso pode acabar em frustração. Incentive o idoso a procurar um tratamento adequado e faça o entender que SUA SAÚDE É SEU PROJETO DE VIDA MAIS IMPORTANTE! E que nunca é tarde para investir em saúde, bem estar e qualidade de vida!


10 visualizações

CANTINHO DA GERIATRIA

Textos e artigos da Dra. Roberta França

SIGA NAS REDES

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Blogger Icon

SIGA O CANTINHO NO FACEBOOK

Cantinho da Geriatria 2020 © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvido por Toco Me Voy