Buscar
  • Dra Roberta França

CUIDADOR, A ARTE DE CUIDAR SEM SE ESQUECER!


Muito se fala das demências, do idoso frágil, da importância dos cuidados diários e contínuos. Pouco se fala de quem cuida! Dessa difícil jornada de quem se dedica, muitas vezes, em tempo integral, ao cuidado e bem estar do seu familiar ou de seu paciente. Independente do número de pessoas de uma família, há sempre O cuidador. Aquele a quem cabe a real responsabilidade dos cuidados de vida diária, higiene e alimentação do paciente. Não é uma tarefa simples! Estar alguns minutos com um paciente demenciado chega a ser divertido. Eles falam, repetem, criam histórias que surgem em suas mentes, falam palavrão... Muito diferente é passar horas e dias ouvindo as mesmas histórias, respondendo dezenas de vezes as mesmas perguntas, ouvir xingamentos e palavrões, ser chamado de ladrão e gritos de socorro de deixar a vizinhança preocupada.... Não é simples! Aprender a aceitar as mudanças de humor e a conviver com elas, compreender a doença como um todo e suas fases, acreditar que nada é pessoal e que o paciente não está fazendo "de propósito " é um exercício diário de amor, generosidade e compaixão. Ao longo dos meus anos como geriatra vi meus pacientes melhorarem e seus cuidadores adoecerem. Passaram a ser hipertensos, diabético, obesos e principalmente depressivos! Motivo? Na ânsia de fazer o melhor, cuidam muito do outro e esquecem de si mesmos! Dão os remédios nos horários exatos mas não tomam sua própria medicação. Levam ao médico mas não vão ao médico. Levam para a fisioterapia mas não fazem uma atividade física. O nível de stress impede um sono adequado e consequentemente piora do humor e da memória. .. Isso precisa mudar!!! Todo paciente necessita de cuidados mas quem cuida também. Lembrem-se da fala da aeromoça que explica que em caso de despressurização, máscaras cairão e você deve primeiro colocar em você para depois ajudar idosos e crianças. Claro! Se te faltar ar, você irá desmaiar e não salvará ninguém. A idéia é a mesma. Você só pode dar aquilo que tem. Se estiver saudável, feliz e tranquilo cuidará com zelo, paciência e entendimento. Se está doente cuidará com raiva, desatenção e impaciência. .. Todo mundo precisa de descanso! Dormir bem, relaxar, deixar a cabeça livre de compromissos não é bobagem nem frescura! É vital para sua saúde física e mental. Fazer do paciente a razão da sua vida torna a sua vida vazia de significado. Você se afasta dos amigos, das atividades que você gosta e desaprende a se olhar. .. esquece até do que gosta. E aí quando, pela ordem natural da vida, o paciente morre, você não sabe mais o que fazer com sua vida! Vem um "buraco" imenso, um vazio, sensação de abandono e muita solidão! A depressão é ainda maior... Olhar para os lados e ver que não tem mais amigos, atividades e rotina choca! E por vezes vem a raiva e a culpa por ter deixado isso acontecer. Não se culpe. Você fez o seu melhor! Ninguém nasce sabendo e achar o equilíbrio é um aprendizado diário. Então agora tire uns minutos pra você apenas respirar... pense na sua vida e como está agindo consigo mesmo. Se você se identificou com tudo até aqui é hora de parar... pense, repense, refaça...mude! Isso não é egoísmo! Essa é sua grande prova de amor pra você mesmo! Lembre-se do que falei " só podemos dar aquilo que temos "... Dê amor, cuidado e afeto... Comece por você... Seu corpo agradece... Sua mente floresce... Sua alma leve...


112 visualizações

CANTINHO DA GERIATRIA

Textos e artigos da Dra. Roberta França

SIGA NAS REDES

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Blogger Icon

SIGA O CANTINHO NO FACEBOOK

Cantinho da Geriatria 2020 © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvido por Toco Me Voy