Buscar
  • Dra Roberta França

DEMÊNCIA DE ALZHEIMER E SÍNDROME DE DOWN, REALIDADES QUE SE CRUZAM


Atualmente é cada vez mais comum ouvirmos falar que um paciente portador de síndrome de Down está com Alzheimer. Inicialmente causa estranheza e muitas famílias questionam o fato. "Mais um problema neurológico?", "Como é possível?". O que aconteceu foi que com o avanço da medicina neonatal, melhora no diagnóstico, tratamentos e inclusão social, os pacientes com síndrome de Down passaram a viver muito mais e com isso começamos a observar que, a maioria, quando atingiam os 40 anos, apresentavam clínica muito semelhante a demência de Alzheimer! Os estudos foram aprofundados na tentativa de entender essa relação e foi comprovado através de exames histopatologicos, que o cérebro dos pacientes com Down apresentavam o mesmo envelhecimento prematuro que no Alzheimer. Ambas são síndromes progeroides genéticas (doenças onde há um envelhecimento precoce a partir da terceira ou quarta décadas de vida e de forma acelerada). A síndrome de Down ocorre a partir de uma alteração genética, a trissomia do 21. A proteína precursora amilóide, que dá origem às placas senis características da demência de Alzheimer está codificada no cromossoma 21!!! Uma vez que a síndrome de Down tem 1 cópia extra do cromossoma 21, essas pessoas produzem 1, 5x mais proteínas precursora amilóide do que os demais e isso parece resultar na tendência a formação excessiva de proteínas amilóide, o que levaria mais precocemente as alterações cerebrais típicas da demência de Alzheimer. Não sabemos porque alguns pacientes não desenvolvem a demência... Temos um longo caminho pela frente de entendimento, tratamento e cura... Enquanto isso , a melhor receita é o carinho, o cuidado e o afeto... Sem efeito colateral!!! Hoje meu artigo particularmente é uma homenagem a minha querida Mimosinha. Minha tia-avó, hoje com 72 anos portadora de síndrome de Down e demência de Alzheimer. Por todas as nossas cantigas, por toda a vida ter me chamado de "Mara", por adorar cantar "eu vou pra maracangalha, por todos os objetos escondidos e jamais encontrados, por todos os banhos cantando "cai cai balão"... Hoje ela não fala mais... Não nos reconhece nem consegue cantar... Mas iremos sempre cantar por ela...


0 visualização

CANTINHO DA GERIATRIA

Textos e artigos da Dra. Roberta França

SIGA NAS REDES

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Blogger Icon

SIGA O CANTINHO NO FACEBOOK

Cantinho da Geriatria 2020 © - Todos os Direitos Reservados

desenvolvido por Toco Me Voy